Homem que esfaqueou Bolsonaro é militante de esquerda - Notícias 2019

Homem que esfaqueou Bolsonaro é militante de esquerda

Homem que esfaqueou Bolsonaro era militante da esquerda. Ex integrante o PSOL e defendia LULA LIVRE. Pra mim não é nenhuma novidade que o PT esteja envolvido no atendado a vida de Jair Bolsonaro. Depois de matarem Celso Daniel, Eduardo Campos, Toninho do PT e Teori Zavascki nada mais me surpreende na atual “democracia brasileira” que está ameaçada por estes “fanáticos” contratados pelo PT para eliminar seus concorrentes.

Homem que esfaqueou Bolsonaro

O homem que esfaqueou o candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), na tarde desta quinta-feira, durante evento em Juiz de Fora, na Zona da Mata, foi identificado, capturado e agredido por militantes. Pouco depois, ele foi preso pela Polícia Militar. Veja o vídeo abaixo

A Polícia Militar confirmou que o candidato foi ferido mas não soube informar a gravidade dos ferimentos. Bolsonaro foi atacado enquanto era carregado por apoiadores durante caminhada na Região Central de Juiz de Fora, entre as Ruas Halfeld e Batista de Oliveira.

O deputado mineiro Léo Portela (PR) acompanhou Bolsonaro até o hospital. Segundo ele, o candidato foi atendido e recebeu pontos. “Ele passa bem”, afirmou o parlamentar. Horas antes do ataque, Bolsonaro havia feito um post sobre a violência em seu Twitter. “Impunidade, desarmamento, indicações políticas e corrupção geraram e continuam alimentando os maiores problemas do Brasil: violência, ineficiência do Estado e desemprego.

Tão importante quanto fazer coisas novas, é desfazer essa estrutura criminosa criada pelos últimos governos!”. Pelo Twitter, o filho do candidato, deputado Flávio Bolsonaro (PSL) pediu orações. “Foi apenas superficial e ele passa bem. Peço que intensifiquem as orações por nós”, escreveu. O outro filho dele, Eduardo Bolsonaro, que é deputado federal, também pediu orações.


Adelio Bispo de Oliveira, o homem que esfaqueou Bolsonaro (PSL) em sua caminhada com apoiadores pelas ruas de Juiz de Fora, Minas Gerais, na tarde desta quinta-feira (6), é obcecado pela maçonaria, a quem acusa, em sua página nas redes sociais da internet, de promover a pauta de direitos LGBTs, perseguir o número 13 e “enlouquecer” as pessoas.Postagens sobre a maçonaria e críticas a Jair Bolsonaro tomam a integridade da página no Facebook do homem que esfaqueou Bolsonaro , onde ele também defende a implantação do comunismo no Brasil. Adelio Bispo, 40 anos, é natural de Montes Claros, Minas Gerais. Ele confessou o crime e foi preso em flagrante enquanto era linchado pela multidão que acompanhava o candidato presidencial, informou a Polícia Militar.

Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro, candidato à presidência pelo PSL, foi atingido por uma facada enquanto fazia campanha em Juiz de Fora nesta quinta-feira (06).

Ele foi operado por uma equipe de dez médicos e está sendo monitorado no momento, segundo informação dada pela assessoria parlamentar do político à Agência Brasil.

Por volta das 18h, o filho do candidato, Flávio Bolsonaro, publicou o seguinte tuíte:

A Santa Casa de Misericórdia da cidade, onde o candidato está internado, divulgou a seguinte nota por volta das 17h30:

“O paciente Jair Messias Bolsonaro deu entrada no hospital por volta das 15h40 com uma lesão por material perfurocortante na região do abdômen. Ele foi atendido na urgência, passou por um exame de ultrassonografia e agora está no Centro Cirúrgico.”

O momento do ataque pode ser visto em um tuíte divulgado pelo apresentador Milton Neves:

De acordo com o Cabo Albuquerque, da assessoria de comunicação da 4a região da Polícia Militar, o autor do ato foi preso em flagrante. Ele foi identificado pela polícia como Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos.


Leia também:

Comentários

Deixe um Comentário